Frei Beto Breis é nomeado Bispo Coadjutor da Diocese de Juazeiro na Bahia

22 fev 2016

O papa Francisco acolheu o pedido do bispo da Diocese de Juazeiro (BA), dom José Geraldo da Cruz, e nomeou coadjutor o frei Carlos Alberto Breis Pereira. O frade franciscano é ministro da Província Franciscana Santo Antônio do Brasil localizada no Recife. O anúncio foi publicado no L’Osservatore Romano nesta terça-feira, 17.

Na capital pernambucana, a notícia foi divulgada pelo arcebispo metropolitano, dom Fernando Saburido, em seu programa matinal na Rádio Olinda AM. O arcebispo foi até o Convento Santo Antônio localizado na área central do Recife para rezar com o bispo eleito e comunicar a boa nova. “Estamos muito felizes com essa nomeação que já era muito aguardada. Falava-se muito na possibilidade de frei Beto se tornar bispo. Infelizmente, não ficou conosco, mas vai fazer um belo serviço em Juazeiro. Vamos rezar por ele para que seja um grande pastor a serviço da Igreja. A missão do bispo não é fácil. Não se trata de honra, mas de um serviço bastante exigente e ele precisa contar com as oração e apoio dos irmãos”, frisou dom Fernando.

O arcebispo foi acompanhado do bispo emérito da Diocese de Palmares e vigário geral da Arquidiocese de Olinda e Recife, dom Genival Saraiva. Os bispos presentearam o novo religioso com uma cruz peitoral e um solidéu. O bispo coadjutor é o bispo assistente (auxiliar) de um bispo diocesano, com direito a sucessão.

O bispo eleito contou que deverá manter o apelido de infância e ser chamado de dom Beto durante o episcopado. Ele  revelou que foi consultado pelo núncio apostólico no Brasil, dom Giovanni D’Aniello, sobre a solicitação do Santo Padre no dia 3 de fevereiro. “Recebi uma ligação do núncio manifestando o pedido do papa para exercer esse serviço como bispo coadjutor de Juazeiro na Bahia. Acolhemos numa atitude de obediência, escuta e disponibilidade em servir”, disse.

O frade destacou a atuação dos franciscano na região. “A área onde irei trabalhar nasceu com a presença dos frades menores da nossa província no início do século 18. Uma região que tem uma base franciscana nas suas origens e está às margens do Velho Chico (Rio São Francisco). O rio recebeu esse nome em honra de São Francisco de Assis”, disse.

Sobre o ministério episcopal, dom Beto destacou a função como uma forma de estar a serviço da Igreja e do povo de Deus. “Vamos àquela nova realidade colaborando com dom José Geraldo, o bispo daquela igreja local. Irei servir com toda a disponibilidade, prontidão reconhecendo as nossas fraquezas e virtudes, mas confiando na graça de Deus e na colaboração de todos aqueles que fazem diocese. ” E concluiu com um pedido: “Peço as orações de todos para que eu possa exercer com fidelidade e empenho essa missão. A missão do bispo é de pastor e o pastor deve estar perto das ovelhas. Procurarei  de todo o coração exercer esse ofício não como uma promoção, mas como um dom de Deus e serviço ao povo de Deus”, concluiu.

A data e local da sagração episcopal ainda não foram definidas. Em breve, o religioso divulgará as informações.

Fonte: Pastoral da Comunicação AOR

Comentários

Nome

E-mail

Comentário